Como me tornei Vegetariana

Oi oi, gente! Quanto tempo, não é mesmo?! Mas semana passada foi bem corrida, eu estava no hospital acompanhando minha mãe em cirurgia e chegando em casa tive que ajudá-la pois ela está de repouso. Acabou que, apesar de várias ideias para posts, eu não estava com tanto tempo pra postar =( Pelo menos foi tudo bem na cirurgia!

Mas hoje eu estou com mais tempo livre, afinal é feriado o/ São 4 dias seguidos, que beleza. Tem gente que acha que sou preguiçosa por gostar tanto de feriado, acham que não gosto de trabalhar, mas na verdade, nos feriados eu nunca fico à toa, sempre faço algo produtivo, então não tem nada de preguiça aqui queridos!

E no post de hoje eu resolvi contar uma experiência pra vocês: a história do dia em que eu decidi me tornar vegetariana. Muitas pessoas pensam em se tornar vegetarianas ou veganas, mas acham que é muito difícil ou talvez não tem a motivação certa, então vim contar minha história, pois acho que experiências de outras pessoas podem acabar motivando a gente! Então se liga aqui, mesmo que você ame carne…talvez ache interessante.

Bom, pra começar, eu quero falar que eu não parei de comer carne porque eu deixei de gostar. A gente cresce comendo carne, quase tudo de lanches e refeições levam esse “ingrediente”, e pra mim o que quer que tivesse carne (menos feijoada e sushi) eram meus pratos preferidos. Confesso que pode ser uma mudança drástica, e às vezes um incômodo pro cozinheiro da casa, mas ao mesmo tempo, você está salvando e respeitando vidas.

E num belo dia, em um domingo a tarde, eu e meus pais saímos de carro. Tudo parecia bem normal, mas de repente logo virando a esquina da nossa rua, escutamos um barulho na roda do carro e logo em seguida sentimos que o carro passou por cima de algo. Parecia uma pedra ou algo assim, mas era estranho porque se fosse uma pedra na rua meu pai teria visto. Eu olhei pra trás do carro pra descobrir o que era, achando que era um tijolo por exemplo, mas a única coisa que vi foi um gato correndo em direção contrária ao carro (aparentemente com muito medo). Na hora pensei, atropelamos o Moby, meu gato. Reconheci ele mesmo de longe e de costas.

Quem não tem gato, talvez não saiba, mas gatos adoram qualquer lugar misterioso e escondido que exista na face da terra. Aqui em casa por exemplo os gatos costumavam esconder em alguma parte do carro, próxima ao motor. Há muito tempo não faziam isso, mas naquele dia provavelmente o Moby resolveu dormir naquele lugar. Era a única explicação! Quando o carro começou a andar ele desceu e foi atropelado.

Ficamos muito preocupados, pois ele simplesmente sumiu depois disso. Eu sabia que não estava morto porque eu o vi correndo, mas fora de casa não dava pra saber o que aconteceria com ele. Passou um dia e nada do Moby voltar pra casa. Até que no dia seguinte, no finzinho da tarde, minha mãe e minha irmã encontram ele na nossa rua tentando caminhar até a porta de casa. Ele estava…todo machucado, cheio de sangue nos olhos, com o rosto inchado, todo sujo e com muito medo ainda.

Eu ainda estava dentro de casa, nessa hora preparando meu, até então, lanche preferido: pão francês, com filé de peito de frango, bacon e tomate picado. Quando eu vi minha mãe carregando ele no colo daquele jeito, eu fiquei desesperada, como qualquer pai/mãe postiça de gato ou cachorro (não gosto de falar que sou dona dos meus bichinhos, sou mamãe mesmo, animais não são objetos pra eu possuir). Eu parei tudo na hora e fui dar atenção a ele, óbvio. A primeira coisa que pensei é que ele deveria estar com muita fome, ele mal conseguia andar e estava fora de casa há um dia. Então eu e minha mãe fomos tentar alimentá-lo, mas ele não aceitava nada, nem mesmo água. Acho que ele nem conseguia comer, pelo estado da boca dele. O único jeito então era alimentar ele à força. Pegamos uma seringa e demos leite e água. Não foi nada fácil, era um gato enorme e gordo (por isso Moby, já que Moby Dick é a baleia do livro) e ele esperneava muito.

Depois disso deixamos ele deitado em um tapete pra descansar e eu fui voltar pro meu lanche, mas ainda estava morrendo de medo de que ele não fosse sobreviver. Estava fritando o bacon e não parava de olhar pra ele, preocupada. Enquanto isso eu comecei a pensar: Espera, o Moby, meu gato, um animal como qualquer outro, foi atropelado, está todo machucado e eu estou quase morrendo de preocupação. Enquanto isso eu estou fritando a carne de um porco…outro animal. E foi aí que eu percebi o quanto eu, e muita gente, estava sendo hipócrita. Os dois são animais, porque um merece a vida e outro não? Um quase morre e eu quase morro junto, e outro foi morto pra que eu comesse…Pra mim naquela hora tudo parou de fazer sentido, e eu vi que aquilo, pra mim, estava errado.

Eu me senti hipócrita, e vi que muita gente também era. Calma, isso é minha opinião, eu estava sendo hipócrita porque pra mim os dois são animais, são vidas e merecem o direito de viver, mas talvez pra outra pessoa, tem uma diferença entre animais de estimação e animais dos quais você se alimenta. Pra mim não, e nessa hora eu quis desistir de comer carne, pra sempre. Eu sempre achei cruel, mas naquela hora eu achei que tinha que fazer algo.

Quando era pequena e a gente aqui em casa assistia aqueles programas de vida animal na TV, por exemplo no fantástico, minha mãe quando via o leão comendo a zebra ficava: “Nossa, tadinha. Não gosto nem de ver”. Eu respondia pra ela: “A gente faz a mesma coisa com vacas e galinhas, mãe”. Mas nessa época eu não parava de comer carne porque nem sabia que era possível e eu tinha uma desculpa: “Já que estão matando eu vou comer…não vou deixar o bicho morrer em vão”. Mas o fato é que matam porque eu como, se eu deixar de comer vou estar salvando várias vidas. Hoje já faz quase 3 anos que não como carne, e eu sei que eu e muitos outros vegetarianos e veganos, juntos salvamos várias vidas.

Na minha opinião não é só sobre amor aos animais, é mais sobre respeito à vida deles. Não posso dizer que amo todos os animais, mas o fato é que respeito a vida deles, como a de qualquer outro ser humano. O que fazem com animais para que tenhamos algumas coisas é inacreditável, é extremamente cruel…e desumano, já que humanos tem emoções e é isso que nos separam dos animais irracionais. Então, como podemos, nós humanos racionais e com emoção maltratar animais dessa forma?

Além disso, hoje a agricultura é extremamente desenvolvida, somos ricos em alimentos, alimento é o que não falta pra gente e há sim opções para substituir a carne. Posso te garantir que não vai te faltar proteína se deixar de comer carne, há alimentos que inclusive possuem mais proteína do que a carne (100 gramas de PTS tem 81g de protéina enquanto 100 gramas de carne tem só 26g).

Se você também ama os animais e acha cruel matá-los pra comer mas acha que não conseguiria comer outra coisa, eu sugiro que pelo menos experimente alternativas. Eu juro que não é tão ruim. Eu me considero uma das pessoas mais “frescas” no que se refere à comida. Eu não como quase nada e pra mim foi uma mudança radical parar de comer carne, porque eu me vi sem opções, principalmente porque eu não pesquisei nada sobre. Eu fiquei 2 anos sem comer carne e sem uma alternativa rica em proteínas (não façam isso) até que resolvi ir em um profissional. A nutricionista me apresentou a PTS (proteína de soja texturizada), e gente, da pra fazer de tudo, da pra preparar como carne moída, dá pra fazer hamburgers. E eu que estava há 2 anos sem comer carne custei me acostumar com a PTS, porque parece muito com a carne móida (ou talvez eu tenha me esquecido como é carne) e eu estava com medo de estar comendo carne mesmo (rsrsrs).

Mas se pra você minha opinião não vale nada…então considerem a opinião dos meus gatos, que adoram soja também. Sempre que vou preparar os hambúrgueres eles ficam pedindo e comem como se fosse frango ou vaca.

Enfim, essa é minha experiência. Hoje eu me sinto muito melhor sem comer carne e nem fico com vontade mais. No começo só eu me tornei vegetariana aqui em casa, mas hoje meu pai também se tornou e estou convencendo minha mãe a não comer carne mais. Os dois perceberam que não é necessário ingerir carne e que há opções melhores e sem crueldade!

Pra você que está tentando se tornar vegetariano, eu primeiramente lhe dou os parabéns porque não é fácil, mas continue respeitando e amando os animais! Beijos da Psicoliterária e até a próxima! E só pra constar, o Moby viveu por mais uns dois anos =)

Tigrilson (Moby) e Leonildo

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s